Make your own free website on Tripod.com

 

 

 

 

Cuidados

Luz - Durante todo o ano exponha estas plantas a luz forte, mas não a sol directo. Duas ou três horas diárias de sol velado beneficiarão as saintpáulias. Estas desenvolvem-se bem sob luz artificial. Se for possível utilizar luz fluorescente, coloque as lâmpadas 30cm acima das plantas e acenda-as durante doze horas por dia. Se expostas a luz adequada e satisfeitas outras condições necessárias, estas plantas florirão continuamente.

Temperatura - Estas plantas desenvolvem-se bem a temperaturas de 18-24ºC. Uma flutuação de 3º para além destes níveis pode eventualmente interromper o crescimento. É indispensável um elevado grau de humidade; coloque os vasos em tabuleiros com seixos molhados e pendure pratos com água sob os cestos suspensos.

Rega - Regue moderadamente estas plantas, o suficiente para humedecer a mistura a cada rega, mas deixando secar a camada superior de 1cm antes de regar de novo. Se a temperatura ambiente descer abaixo de 16ºC por mais de um dia ou dois, reduza a frequência das regas, deixando secar a camada superior de 2,5cm antes de voltar a regar. Um excesso de rega em qualquer altura pode provocar apodrecimento das raízes das saintpáulias.

Adubação - Em cada rega aplique às saintpáulias um adubo líquido com um quarto da concentração habitual composto por partes iguais de azoto, fósforo e potássio.

Envasamento e reenvasamento - Use uma mistura composta por partes iguais de turfa de musgo, perlite e vermiculite e acrescente três ou quatro colheres de sopa de pó de dolomite para cada quatro medidas (uma medida = 2dl) da mistura. Plante as saintpáulias em forma de roseta em vasos ou outros recipientes baixos. Para calcular o tamanho conveniente do recipiente, meça o diâmetro da roseta e escolha um recipiente com o diâmetro de cerca de um terço do da planta. Não deve ser necessário um vaso de dimensões superiores a 12-16cm. As variedades miniatura e as plantas rastejantes jovens podem também ser cultivadas em vasos, mas as rastejantes adultas devem ser cultivadas em cestos suspensos, onde os caules dispõem de mais espaço para enraízar. As saintpáulias dão-se melhor quando um pouco apertadas nos vasos. Reenvase estas plantas em recipientes um pouco maiores só dois meses depois das raízes terem enchido os recipientes em que se encontram. Pode realizar esta operação em qualquer estação desde que a temperatura esteja acima dos 16ºC. Ao reenvasar, é aconselhável retirar o circulo exterior das folhas se os pecíolos tiverem sido danificados por terem estado comprimidos contra a borda do vaso. Retire cada pecíolo com um puxão rápido para o lado; não os corte. É importante retirar o pecíolo todo, pois qualquer coto que fique pode apodrecer e contagiar o caule principal,

Propagação - O método mais indicado para propagar as saintpáulias consiste em enraizar individualmente as folhas que produzirão novas plantas. Retire uma folha da roseta, da segunda ou terceira carreira a contar de fora (ou retire uma folha junto à base do caule, caso se trate de uma planta rastejante). Com uma faca afiada, corte o pecíolo, reduzindo-lhe o comprimento a 2,5-4cm, e enterre-o a 1,5-2cm de profundidade num vaso de 6-8cm contendo mistura húmida. Introduza o conjunto num saco de plástico ou numa mini-estufa e exponha-o a sol directo velado a uma temperatura de 18-24ºC. Não deverá ser necessário regar durante sete a dez semanas, até emergir à superfície da mistura um maciço de pequenas folhas que nascem da base do pecíolo. No decorrer das quatro semanas seguintes, destape progressivamente as novas plantas até as retirar completamente da atmosfera protegida. Entretanto, regue-as apenas o necessário para evitar que a mistura seque e aplique-lhes semanalmente um vulgar adubo líquido com um oitavo da concentração habitual. Quando as novas plantas atingirem uma altura de 4-5cm, retire-as com cuidado da folha-mãe e coloque-as em vasos individuais de 6-8cm. A partir de então, trate-as como plantas adultas. As folhas das saintpúlias podem também ser enraízadas em água.

Observações especiais- As saintpáulias são extremamente susceptíveis de serem atacadas por afídios, ácaros, cochonilhas e cochonilhas das raízes (v.pragas). para evitar a infestação de um conjunto destas plantas, isole sempre cada planta recentemente adquirida durante pelo menos um mês. Neste espaço de tempo poderá tratar convenientemente qualquer praga que infeste a nova planta.