Make your own free website on Tripod.com

 

 

 

 

 

Conheça também a (violeta Africana) Clique Aqui

 

Violeta perfumada

 

Existe uma violeta tão delicada quanto a violeta africana (Saintpaulia ionantha), mas que além da beleza apresenta outros atributos: um suave perfume e propriedades medicinais. Trata-se da Viola odorata, planta da família das Violáceas, não tão conhecida no Brasil como a africana. Elas realmente se parecem muito, mas as diferenças são fundamentais: as flores da Viola odorata são perfumadas e de cor roxo intenso, as folhas são ovais, lisas e apresentam uma haste longa; enquanto que a violeta africana não exala perfume, possui folhas aveludadas, com formato redondo e as flores são de cores variadas, além de não apresentarem nenhum valor medicinal, apenas decorativo.

A medicina homeopática começou a aplicar os poderes curativos da Viola odorata por volta de 1829. Nessa época, ela já mostrava sua eficiência, conhecida desde a Antigüidade, contra sinusites, tosse, dores de ouvido, rouquidão e reumatismo. Os povos antigos usavam a florzinha, sabiamente: em coroas contra as dores de cabeça. Mais tarde, seu uso foi estendido assim que a planta demonstrou suas virtudes como expectorante, antiespasmódica, sudorífera, diurética e anti-inflamatória.

As propriedades desta planta se estendem pela cosmética, onde suas flores são usadas como matéria-prima para colônias, talcos, desodorantes, sabonetes e, acreditem, chegam até na cozinha, pois as flores são simplesmente deliciosas, sendo empregadas na fabricação de geléias ou doces cristalizados.

Em 1829, o médico alemão M. Staptf começou a utilizar a Viola odorata na homeopatia, visando o tratamento de dores de ouvido, sinusites e reumatismos. O resultado foi surpreendente.

É claro que as doses e diluição devem variar de acordo com o paciente, o que explica porque o uso deve ser feito rigorosamente sob controle médico.

A medicina popular aproveita bem as flores e raízes da planta, uma vez que as folhas apresentam poucos princípios ativos. O macerado das flores e raízes é muito usado para limpeza dos brônquios, contra conjuntivites e inflamações do nariz e da garganta. Entretanto, é fundamental não esquecer de um detalhe: as raízes da Viola odorata apresentam um alcalóide - a violina - cujas propriedades químicas são razoavelmente tóxicas, podendo causar vômitos e diarréias. Mais uma razão para não usar a planta como remédio indiscriminadamente. A planta também apresenta outros componentes ativos: óleo essencial, violamina, alcalóides (odoratina), emetina, irona e glucosídeos.

Fácil de cuidar

A Viola odorata é originária da Europa, mas se estende praticamente por todo o mundo. Seu habitat natural são os bosques e as zonas sombreadas e úmidas. Trata-se de uma planta muito fácil de ser cultivada, podendo crescer bela e saudável até mesmo dentro de casa. O plantio por meio de sementes deve ser feito em vasos pequenos, numa mistura de 2 partes de composto orgânico, 1 de terra e 1 de areia grossa. Plante as sementinhas numa profundidade de 1 cm. O vaso precisa ser mantido à sombra e a terra regada todos os dias, sem encharcar.

Por ser uma planta perene, se bem cuidada, irá  florescer por muitos anos e garantir flores com um delicioso perfume. As pétalas podem ser armazenadas: é só colher, secá -las à sombra e guardar em saquinhos plásticos pretos, para não receber luz.

Curiosidades

Na Inglaterra, a Viola odorata é conhecida como Sweet Violet (violeta doce) e na França, seu nome é Violette Odorante. Na tradição de vários povos, credita-se a esta flor alguns poderes mágicos: dizem que a pessoa que colher a primeira violeta que se abrir na primavera, atrairá o verdadeiro amor; o seu perfume é considerado um ótimo afrodisíaco, além disso, essa violeta era usada como ingrediente na preparações de antigas "poções do amor".

Dicas:

Compressa com Violetas

Em uma xícara de água quente, coloque 1 colher (chá) de flores de Viola odorata. Deixe coberto por uns 15 minutos e depois coe. Usar em compressas com um chumaço de algodão ou gaze sobre machucados e escoriações, para facilitar a cicatrização.

Suavizante da pele

Coloque para ferver meio litro de água e junte 10 colheres (sopa) de folhas e 4 colheres (chá) de Viola odorata. Deixe ferver por uns 10 minutos. Coe ainda quente e vá misturando amido de arroz até obter uma espécie de pasta leve. Junte uma colher (chá) de glicerina e misture bem. Use o preparado para suavizar peles irritadas.